quarta-feira, 28 de fevereiro de 2007

Respire aliviado

Luz na planta
planta na água
milagre de Deus
fotossíntese

[reparando nos pequenos presentes da vida;
a fim de que os problemas fiquem menores]


***
"Vejam como crescem os lírios do campo. Eles não trabalham nem tecem. Contudo, eu lhes digo que nem Salomão, em todo o seu esplendor, vestiu-se como um deles. Se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no fogo, não vestirá muito mais a vocês, homens de pequena fé". Jesus no evangelho de Mateus 6:28-30 (NVI)

terça-feira, 27 de fevereiro de 2007

Pérolas da minha infância ainda mais remota

Descobrindo novas palavras da pior forma possível:
-Alô! (voz de criança)
-É da residência do seu Dantas?
-Não! É da casa dele. (ênfase infantil)
Pausa complacente.
-Ele está?
-Não! Só chega à noite.
-Eu ligo depois.
Saiu sorrindo para contar pra mãe a pergunta absurda que aquele homem estúpido fizera.

Fazendo as pazes com Larry Crabb

"O homem ficou zangado. Deus parecia indiferente, impassível, insensível. A porta do céu se fechou e o homem sabia que não havia meio de força-la a se abrir.
Ele só conseguia pensar em dias melhores.
(...)
Seu sofrimento tornou-se, para ele, uma passagem para o coração de Deus. Compartilhou a dor de Deus em seu grande projeto de redenção. Ao sofrer junto com Deus por uma mesma causa, o homem sentiu-se ainda mais próximo do Senhor.
Um novo pensamento lhe ocorreu. 'Unir-me-ei a quaisquer forças que estejam em oposição à raiz desse desprazer. Aliar-me-ei à bondade contra o mal. Não espararei até ver mais claramente; farei o serviço que minhas mãos encontrarem. No entanto, permanecerei perto de minha fonte. Minha alma tem sede. Uma vida agradável não é água para minha alma; aquilo que vem de Deus - quem quer que seja Deus -, isso sim, é a única e verdadeira água. E ela me basta'.
O homem adorou a Deus e Deus se agradou dele. Assim, Deus manteve a água borbulhando da fonte para a alma do homem. Quando o homem não bebia todas as manhãs dessa fonte ou não voltava todas as noites para saciar-se outra vez, sua sede tornava-se insuportável.
Algumas coisas em sua vida melhoraram, enquanto outras não mudaram. Outras pioraram.
Mas o homem possuía novos sonhos e eram sonhos maiores do que uma vida agradável. Encontrou a coragem para buscá-los. Tornou-se um homem esperançoso e sua esperança trouxe consigo a alegria.
Deus estava muito contente. E o homem também" (p.19)
Crabb, Larry. A parábola em Sonhos Despedaçados São Paulo: Mundo Cristão, 2004

Anteontem isso fez todo o sentido do mundo!

Pérolas da minha infância remota

-Adriana, vá comprar um frango.
Obediente ela foi.
-Oba, sobrou dinheiro! Vou completar meu álbum de figurinhas.
-Adriana, cadê o frango?
-Ih... Será que deixei na banca de jornal?

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2007

Do sentido do meu blog

Sou caloura nesse negócio de blog. Nem tenho tanto tempo para visitar muitos. Há tantas coisas que competem pela minha atenção que só visito blogs daqueles amigos que me informam da existência de seus respectivos. (Detalhe: só de amigos que creio que tenham idéias interessantes).
Isso me dá um certo alívio porque imagino que não muitos lerão as coisas que escrevo. Daí vem a minha neura-essência: então por que eu inventei criar o meu?
Confesso que o incentivo do meu amigo Gil trouxe à tona esse desejo tão oculto que nem mesmo eu, que vasculho essas questões interiores, tinha parado para contemplá-lo seriamente. Conversas em msn podem mudar vidas!
Acho que também resisti porque virou moda. Não é algo muito original, mas ao mesmo tempo não fazer é algo "demodé" (como essa palavra). Talvez não quero ficar por fora. E viva o antagonismo!
Algumas idéias eu já tenho pré-concebidas: não gosto de blogs de fotinhos, tipo diário de adolescente. Você que o tem, não se ofenda comigo! Não se pode gostar de tudo.
Também sei que gosto de blog literário. Abaixo a editoras que não publicam textos maravilhosos de escritores anônimos e talentosos. Eis aqui o seu espaço para o protesto e visibilidade para todo o mundo de fala portuguesa.
Mas no fundo, eu sei que não é isso não. Todo mundo quer ser ouvido, todo mundo quer ser visto, por fim, todo mundo quer ser amado. E todo canal possível que possamos criar para satisfazer nossas necessidades básicas pode ser bem vindo.
Faz algum sentido?